Publicidade

A catedral criada por um ateu


Histórias de Brasilia - outubro 8, 2017

A Capital Metropolitana de Brasília, projeto de Oscar Niemeyer, é o monumento mais antigo da capital. Sua pedra fundamental foi lançada em 12 de setembro de 1958, dia do aniversário de Juscelino Kubitschek. O cálculo estrutural que permitiu sua construção ficou por conta do engenheiro Joaquim Cardozo.

A estrutura do prédio ficou pronta em 1960, com uma área circular de 70 metros de diâmetro da qual se elevam 16 colunas de concreto. Mas, devido a dificuldades de financiamento, a obra só seria inaugurada em 1970, passando mais de 10 anos como um esqueleto em meio à Esplanada dos Ministérios.

Niemeyer, que era declaradamente ateu, pensou em uma estrutura que revertesse a ideia de pecado presente em outras catedrais do mundo. Em vez de um ambiente escuro, uma nave inundada de luz que entra pelos vitrais e atinge os fieis em 360 graus.

A Catedral também contou com a colaboração de diversos artistas que fizeram parte da construção de Brasília. As quatro esculturas em bronze na entrada do templo, representando os evangelistas, são de Alfredo Ceschiatti, assim como os três anjos pendurados por cabos de aço no interior do local. O painel em lajotas cerâmicas das paredes do batistério são de Athos Bulcão. A via sacra é obra de Di Cavalcanti, enquanto os vitrais entre os pilares de concreto são de autoria de Marianne Peretti. A imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira da cidade, é a mesma presente na primeira missa de Brasília, realizada em 1957.

A Catedral é, atualmente, o ponto turístico mais visitado da capital.