Publicidade

A CRIAÇÃO DO PARQUE ANA LÍDIA


Histórias de Brasilia - abril 20, 2017

Nos primeiros anos de Brasília, não havia muitas opções de lazer para as crianças da capital. Então, em 1971, um grande evento fez a alegria de muitas famílias da cidade: a inauguração do Parque Iolanda Costa e Silva, nome da esposa do presidente Costa e Silva, falecido dois anos antes.

Ocupando uma área na Asa Sul intocada até então, o parque trazia brinquedos temáticos divididos em três partes:

Ala das Meninas – com elementos de contos de fadas, como carruagem em forma de abóbora, escorregador com bota e animais gigantes;

Ala dos Meninos – relacionado aos filmes de aventura da época, com forte apache, barco viking e caravanas do velho oeste;

Ala Futurista – com um foguete espacial, trepa-trepa em forma de bolha, roda-roda no formato de cápsula lunar, entre outros.

Dois anos depois, o lugar mudou de nome para homenagear uma de suas frequentadoras: a menina Ana Lídia, que fora assassinada em um dos crimes mais misteriosos da cidade, até hoje não solucionado.

Em 1976, o Parque Ana Lídia foi incorporado ao recém-inaugurado Parque da Cidade.