Publicidade

Águas Claras: um bairro planejado para a classe média


Histórias de Brasilia - agosto 7, 2017

 

No dia 16 de dezembro de 1992, o bairro de Águas Claras foi legalmente implantado na Região Administrativa de Taguatinga. O nome originou-se do córrego homônimo que nasce na região e abastece o Lago Paranoá.

 

Planejada pelo arquiteto e urbanista Paulo Zimbres, tinha o objetivo de ser um bairro com a mesma qualidade de vida do Plano Piloto, mas com valores de imóveis mais acessíveis. Imediatamente após a legalização, vários empreendimentos foram colocados à venda pelas construtoras. Houve intensa campanha publicitária conceituando Águas Claras como um bairro feito sob medida para a classe média do Distrito Federal. O primeiro edifício lançado foi o residencial San Marino, feito pela Encol, construtora que faliu, em 1999, depois de se envolver em diversas irregularidades.

 

 

Dos 808 hectares de Águas Claras, 403 ficaram reservados para áreas verdes. Suas avenidas e alamedas receberam o nome de árvores (Castanheiras, Araucárias, Flamboyant, entre outros), enquanto as praças foram batizadas como pássaros (Pardal, Beija-Flor, Tiziu etc.).

 

O crescimento foi bastante acelerado e, em 2003, Águas Claras deixou se ser uma extensão de Taguatinga e tornou-se uma Região Administrativa do DF. A cidade conta, atualmente, com mais de 160 mil habitantes e continua sendo o maior canteiro de obras do Brasil. São 722 edifícios construídos, 143 em construção e 277 lotes ainda vazios.