Publicidade

O patinho feio campeão


Histórias de Brasilia - novembro 9, 2017

 

No dia 17 de setembro de 1967, quatro adolescentes de Brasília provaram que o talento, a determinação e o gosto pela velocidade não têm idade.

Jean Luiz da Fonseca, Zeca Vassalo, Helladio Monteiro e Alex Dias Ribeiro chegaram em segundo lugar nos 500 quilômetros de Brasília, uma das provas automobilísticas mais tradicionais do país, na época. Os garotos superaram Ferraris, Porshes e outras grandes marcas com um carro que eles mesmo haviam construído na garagem de uma casa na 706 Sul.

O carro foi montado com o chassi de um Fusca batido e várias peças encontradas em ferros-velhos. Seu nome oficial era Camber PT1, mas, por seu jeito improvisado e esquisito, ganhou o apelido de Patinho Feio. Após o histórico feito, os rapazes montaram uma oficina, a Camber, que tornou-se lendária em Brasília, e por onde passaram nada menos que três futuros pilotos de Fórmula 1: Alex Dias Ribeiro, Nelson Piquet e Roberto Pupo Moreno.

 

Equipe Camber em 2017

 

O Patinho Feio continuou correndo e conquistando vitórias até os anos 1970. Com o tempo, foi sendo aprimorado e ganhou rodas esportivas e aerofólio. O carro existe e continua rodando até hoje. Um símbolo da garra e do empreendedorismo da juventude candanga no início da capital.