Publicidade

O primeiro túmulo do Campo da Esperança


Histórias de Brasilia - dezembro 13, 2017

O Campo da Esperança da Asa Sul é um dos seis cemitérios do Distrito Federal e foi o primeiro a ficar pronto, antes mesmo da inauguração da cidade. Mas, por uma estranha coincidência, o cemitério teve seu início com o enterro da pessoa que o construiu: o engenheiro Bernardo Sayão.

 

Bernardo Sayão em 1958

 

Sayão era um diretores da Novacap e foi peça-chave para que Brasília desse certo. Ele era o responsável pela infraestrutura da capital: redes de água, luz, esgoto, estradas e muito mais. E também era quem chefiava as obras da rodovia Belém-Brasília, que ligou a região Norte ao resto do país.

 

No dia 15 de janeiro de 1959, um acidente na Belém-Brasília entrou para a história da capital. Uma árvore gigantesca foi derrubada para o lado errado e atingiu em cheio a barraca onde Bernardo Sayão estava. O engenheiro ainda chegou a ser socorrido, mas morreu horas depois.

 

Sayão era muito querido por todos os candangos e o dia do seu enterro foi o único em que a construção de Brasília parou. Milhares de pessoas foram até o cemitério prestar as últimas homenagens. Do presidente JK ao mais humilde operário, todos choraram aquela perda.

 

Quando Bernardo Sayão estava delimitando o terreno do Campo da Esperança, ele havia comentado com um colega: Quem vai ser o infeliz que vai inaugurar esse cemitério? Foi ele mesmo.