Publicidade

Uma breve história da publicidade em Brasília


Histórias de Brasilia - novembro 27, 2017

A publicidade sempre esteve presente na história de Brasília. Durante a construção da capital, muitas empresas mostravam publicamente seu apoio à empreitada de JK com anúncios em revistas e jornais. Aquela nova cidade no meio do Planalto Central simbolizava o novo, o moderno, o futuro. E todos queriam estar associados a isso de alguma maneira.

Durante a festa de inauguração da capital, diversas marcas também estiveram presentes por aqui com estandes em que vendiam seus produtos e distribuíam brindes comemorativos. Entre elas, grandes empresas como Coca-Cola, Kibon, Antarctica, Brahma, Café Palheta e muitas outras.

 

As primeiras marcas genuinamente candangas

A primeira década da cidade viu o nascimento de vários estabelecimentos que viriam a ser os maiores de Brasília por muitos anos. Lojas como Fofi, Bi Ba Bô, Solomaq, Pioneira da Borracha e Slavieiro movimentavam a publicidade local com muitos anúncios na mídia. Seus jingles e slogans ficaram famosos e até hoje são lembrados por quem viveu naquela época. “Fofi, mania de vender barato”. “Casas Nordeste, a que mais barato veste”. “Huddersfield. Difícil de pronunciar, mas fácil de encontrar”. “Loja Ypê, a mais colorida da cidade”.

 

 

Já nos anos 1980, os anúncios de varejo, que tanto movimentavam nossa publicidade, passaram a dividir o espaço com um novo formato de negócio que começava a despontar: as lanchonetes. Food’s, Truc’s e Giraffas eram alguns dos locais que atraíam os jovens e tinham uma forma de comunicação descolada e atraente, com muitas promoções, colorido e música new wave.

 

 

Foi nessa década que alguns dos bordões mais famosos da cidade foram criados. Os comerciais não primavam pela qualidade técnica, mas abusavam da criatividade e da sintonia com a população. Quem não se lembra do “Senti firmeza, Demacol”, falado por um jovem sorridente com o polegar para cima? Ou do “Deu crique? Osaka conserta”, divulgando a loja de eletrônica do seu Osaka.

 

 

As agências locais ganham espaço

Os anos 1990 foram marcados por uma maior profissionalização do mercado local, que precisou contar com agências de publicidade mais estruturadas para atender tanto o Governo do Distrito Federal, quanto o Governo Federal. São dessa época agências como D&M e Atual Propaganda, hoje extintas, mas que já figuraram entre as maiores do país.

Atualmente, o mercado publicitário de Brasília, além dos empreendimentos nascidos na capital, também conta com filiais de praticamente todas as grandes multinacionais do ramo, com profissionais especializados em atender tanto contas públicas, quanto a iniciativa privada. Além disso, jovens empreendedores empenham-se em criar modos novos de interação entre consumidor e cliente, ampliando, cada vez mais, o alcance das marcas e dos produtos.

 

 

A publicidade que já anunciava uma cidade inovadora em 1960 continua a surpreender nos dias atuais, mostrando que nossa capital continua na vanguarda da comunicação e da criatividade.